Webinar discute perspectivas da engenharia civil após pandemia

0
228
Oferecimento: Academia iFitiness

Responsável por realizar sonhos e projetos por meio de soluções criativas, o engenheiro civil projeta, analisa, gerencia e fiscaliza construções, desde casas, prédios e monumentos até barragens, portos e estradas. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a Engenharia Civil é uma das profissões mais requisitadas no mercado de trabalho brasileiro, sendo uma das áreas de crescimento constante no país. 

Até por isso, enquanto o comércio e outras atividades buscam a retomada gradual em função da pandemia da Covid-19, a construção civil foi classificada pelo Governo do Estado de São Paulo como serviço essencial e não parou. 

No entanto, mudanças fundamentais aconteceram na forma de trabalhar, estudar e se relacionar. Novas palavras como reinventar, adaptar e inovar foram incorporadas ao vocabulário e apontam para um cenário em transformação. E foi justamente para traçar um panorama das perspectivas da Engenharia pós-pandemia que Vinicius Marchese participou de um webinar destinado aos alunos da UNIFAE.

O engenheiro de Telecomunicações, que é também presidente licenciado do CREA-SP, destacou os pontos fundamentais que os estudantes devem levar em consideração para planejar a carreira: “É importante interpretar este momento e identificar o novo cenário que está surgindo. Verifiquem suas aptidões e habilidades, e vejam quais delas se encaixam nas demandas que virão do futuro. Busquem conhecimento na área da transformação digital, da quinta revolução industrial e das tecnologias. O conceito de inovação será muito oportuno nesse momento”. 

A live contou com a participação da reitora da UNIFAE, Profa. Dra. Maria Helena Cirne de Toledo, que enfatizou o empenho dos professores e alunos para a continuidade do semestre com o ensino remoto: “Contamos com a dedicação e criatividade dos nossos docentes, que foram efetivamente fantásticos. Tivemos de reinventar as práticas pedagógicas para acessar os alunos. É uma outra realidade a que temos agora”. 

Concluindo, a reitora comparou o cenário em que vivemos atualmente a um terreno de areia movediça, onde tudo se modifica muito rapidamente: “Mas nós também estamos nos movimentando com a mesma rapidez, realizando reuniões internas para a adequação curricular para que, no segundo semestre, possamos fazer o retorno gradual das aulas presenciais com toda a segurança”.