Saúde realiza reunião estratégica sobre prevenção ao sarampo

93
- Publicidade -
- Oferecimento -

Rede municipal disponibiliza vacinas de rotina em São João

Uma reunião entre profissionais de todos os serviços de saúde da Prefeitura de São João da Boa Vista, incluindo representantes dos hospitais Santa Casa Misericórdia Dona Carolina Malheiros e Unimed, foi realizada na tarde de quarta-feira, 21, para definir estratégias de proteção contra o sarampo no município.

Responsável pelo Setor de Vigilância Epidemiológica, Ludimila Barros Zan coordenou a reunião e orientou os profissionais para que o atendimento à população seja realizado de forma padrão.

“A gente quer preparar todos para reconhecer caso suspeito. Sabendo identificar é um grande caminho porque a gente não vai deixar passar nenhum caso. Suspeitou, a gente dá todo o apoio. Então, a gente está com esse objetivo hoje. Conseguir deixar todo mundo atento. E também saber qual o próximo passo depois da suspeição”, explica.

Diante do caso confirmado na cidade, de uma pessoa de São Paulo, a chefe de Vigilância Epidemiológica reforça que o paciente veio doente da capital e apresentou os sintomas clássicos em São João.

“São Paulo, Campinas, a nossa população circula muito nessas cidades. Teve um final de semana comemorativo do dia dos pais, e coincidiu que a pessoa veio de lá para visitar a família e acabou desenvolvendo os sintomas aqui”, diz Ludimila.

Com o diagnostico confirmado, houve a notificação, coleta de exames e bloqueio para evitar casos secundários na cidade até que a pessoa retornasse à capital paulista.

Na rede municipal, a Prefeitura disponibiliza vacinas de rotina. O público-alvo são crianças (1 ano e três meses), pessoas em geral de 1 a 29 anos — é necessária a apresentação da carteira com o registro de duas doses.

Para a faixa etária de 30 a 59 anos, a recomendação é de que seja aplicada uma dose somente. De acordo com o Departamento de Saúde, é preciso que a população atualize a carteira de vacinação.

“A gente chama isso de intensificação. Não é uma campanha e a gente não está fazendo a dose extra”, destaca.

O Departamento de Saúde está investigando a situação de duas crianças. A coleta dos exames foi realizada e encaminhada ao Instituto Adolfo Lutz, em Campinas.

Ludimila afirma que a pessoa que contraiu o sarampo no passado não corre o risco de ter a doença novamente por causa da imunidade natural do organismo.

“Mesmo quem acha que já teve a doença procurar a unidade de saúde para saber se precisa da vacina de rotina. É uma doença que começa e termina sozinha, mas ela pode ter complicações graves, principalmente, nas crianças e idosos. A gente pode ter complicações como pneumonia, infecção de ouvido, meningite. Por isso, a gente tem que ficar bem atenta”, finaliza.

- Oferecimento -