ONG Viva São João perde ação contra Águas da Prata

614
- Publicidade -
- Oferecimento -

POR UNANIMIDADE, TRIBUNAL DE SÃO PAULO JULGA RECURSO EM FAVOR DE ÁGUAS DA PRATA SOBRE AÇÃO MOVIDA POR ONG CONTRA O MUNICÍPIO

O Tribunal de Justiça de São Paulo entendeu que a prefeitura de Águas da Prata não cometeu irregularidades em relação à autorização da reforma no Grande Hotel Prata. A Ong Viva São João tentou embargar a obra afirmando que o município teria diminuído a área de proteção envoltória do Hotel São Paulo, esse sim, tombado pelo Patrimônio Histórico, para facilitar a reforma do Grande Hotel Prata. “…soa desconexa com os fatos a alegação da autora de que a diminuição da zona envoltória se deu única e exclusivamente com a finalidade de derrubar a varanda do edifício…”

ZONA ENVOLTÓRIA ERA MUITO EXTENSA
A decisão cita a área envoltória de proteção do Hotel São Paulo de 30 metros como razoável diante dos 300 metros fixados anteriormente. “…afigura-se razoável, pois além de muito extensa, a anteriormente existente inviabilizava a realização de obras na praça. O momento é pertinente dada a oferta de financiamento para a obra que pode ser perdido, caso paralisada. A propósito, isto   demonstra a ocorrência de possível dano reverso, ao impedir as obras que melhorem a cidade…”

COMDEPHICN NÃO TEM PODER DELIBERATIVO
A justiça entendeu ainda que a afirmação de que o COMDEPHICN não tem poder de intervenção neste assunto. “Ademais, não há que falar em ilegalidade notória no Decreto 2.675/2017 o COMDEPHICN – Conselho da Defesa do Patrimônio Histórico, Cultural e Natural de Águas da Prata, possui natureza consultiva. A agravada defende que a intervenção do Conselho é vinculativa e necessária, inclusive para a edição legislativa. Tais argumentos não merecem prosperar”.

ONG TENTOU IMPEDIR TAMBÉM A CONSTRUÇÃO DO BOULEVARD
Na decisão, foi considerada improcedente ainda a alegação de que as obras na praça Basílio Ceschin, para a construção do Boulevard, seria também um prejuízo ao Patrimônio Histórico da cidade. A ONG tentou impedir também essa obra que certamente vai colocar Águas da Prata em um novo patamar no que se refere à atrativos turísticos, tendo em vista, a recente mudança de nomenclatura da área do Parque Municipal ( antigo Bosque ) o que viabiliza a vinda de recursos estaduais para serem investidos no local. “Nota-se que a Praça Basílio Ceschin se localiza razoavelmente distante do imóvel…”

PREFEITO COMEMORA DECISÃO
O prefeito Carlos Henrique comemorou a decisão. “Águas da Prata venceu essa batalha. O bem prevaleceu. Com apoio de pouquíssimos moradores de Águas da Prata, aqueles de sempre, que não querem ver o avanço da cidade, essa ONG tentou impedir a reforma do prédio e a instalação ali de uma clínica que, além de gerar empregos e recursos para o município, vai atrair novos visitantes. Quiseram ainda impedir que a gente construísse o Boulevard na Praça Basílio Ceschin, que todos sabem, é de suma importância para o turismo local, até porque já conseguimos verbas para isso. Ganhou Águas da Prata, ganhamos todos nós que queremos o melhor para a nossa cidade. A justiça foi feita. Vamos em frente, há muito ainda que se fazer para que Águas da Prata cresça com respeito ao meio ambiente, gerando empregos e melhorando a qualidade de vida dos pratenses. Estamos juntos para o bem do futuro da nossa cidade. Águas da Prata não vai ficar estagnada como querem algumas poucas pessoas. Isso não vamos permitir”, disse Carlos Henrique.

Veja aqui mais notícias sobre Águas da Prata.

Fonte: Prefeitura Municipal de Águas da Prata – SP

- Oferecimento -