Memorial Pagu está pronto para visitação

0
191
Oferecimento: Academia iFitiness

Por enquanto, em razão da pandemia provocada pelo novo coronavírus, o acesso está restrito ao público

Fotos, livros, documentos, textos avulsos, artigos, entre outros materiais ligados à trajetória de vida da jornalista, escritora e militante política Patrícia Rehder Galvão, a Pagu, poderão ser consultados por meio de visitas ao memorial dedicado à ilustre personalidade nascida em São João da Boa Vista.

A seleção inclui verdadeiras relíquias como, por exemplo, imagens da participação de Pagu no concurso da Fox Filmes, em 1927, e de quando, em 1929, a escritora esteve na Estação Pedro II, no Rio de Janeiro, ao lado de Anita Mafaltti, Benjamim Péret, Tarsila do Amaral, Oswald de Andrade e Eisie Houston.

Assim que o passeio pelo memorial for liberado ao público, também será possível observar o modelo de uma obra com o rosto de Pagu, produzida em 1933, no formato óleo sobre tela, pelo renomado artista plástico Cândido Portinari.

O rico acervo disponível, que inclui 43 livros ligados à sanjoanense, foi providenciado pelo médico, historiador e curador Rodrigo Rossi Falconi. Com o prédio concluído, o responsável espera que o público conheça um pouco mais do trabalho apresentado.

“Ficou pronto o Memorial Pagu. [Nele, estão] presentes diversas obras que ela escreveu e que escreveram sobre ela. Ficou um espaço muito bonito dentro do Centro Cultural que já leva o seu nome e que foi inteiramente reformado”, enfatiza.

Construído pela Prefeitura de São João da Boa Vista, o memorial está localizado à rua Benedito Araújo, 44, região central, nas dependências do Centro Cultural Pagu. Por enquanto, em decorrência da pandemia provocada pelo novo coronavírus, o acesso está restrito aos visitantes. A liberação irá depender de decisão do Plano São Paulo, que prevê a retomada consciente das atividades no Estado.

“Foi feita uma ampla reforma no prédio, um antigo sonho de muitos sanjoanenses. [O memorial] está pronto graças ao trabalho do seu curador, o historiador e médico Dr. Rodrigo Rossi Falconi. Eu e o prefeito Vanderlei estamos felizes com o resultado”, finaliza o diretor de Cultura, Hélio Correa da Fonseca Filho.

Reforma
Com três décadas de atividades, o Centro Cultural Pagu acabou de ser completamente reformado pela administração municipal. As obras envolveram instalação de elevador, rampas de acessibilidade, sanitários adaptados, iluminação, entre outras melhorias.

A parte superior do prédio ficou reservada para o Arquivo Público e Histórico Matildes Rezende Lopes Salomão, enquanto que a parte térrea continua destinada à Casa do Artesão.

No passado, a principal atração do complexo era a Biblioteca Municipal Jaçanã Altair. O espaço reuniu durante anos leitores, estudantes e pesquisadores de São João e região, em razão de um estoque com 33 mil livros.

Com a inauguração da Cidade das Artes: Parque Urbano Municipal “Espaço Jovem Osmar Garcia, no bairro São Benedito, o Departamento de Cultura transferiu todo o acervo para o prédio situado na antiga Ceagesp.

Pagu
Patrícia Rehder Galvão (Pagu) nasceu em São João da Boa Vista, na data de 9 de junho de 1910. Jornalista, escritora e militante política, Pagu ficou reconhecida nacionalmente por se destacar no movimento modernista iniciado em 1922.

A sanjoanense morreu aos 52 anos de idade, em Santos, em 1962. Depois de 27 anos de sua morte, ela foi homenageada em São João, tendo o seu nome inserido no Centro Cultural Pagu, em 1989.