Estação Ferroviária de Aguaí será reconhecida como Patrimônio Cultural Estadual

674
- Oferecimento -
- Oferecimento -

Prefeitura fez o pedido junto à Secretaria de Estado da Cultura

A Prefeitura Municipal de Aguaí tem solicitado junto à Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo o reconhecimento da Estação Ferroviária de Aguaí, situada à Rua Major Braga, como Patrimônio Cultural, e recentemente recebeu um ofício da Secretaria reconhecendo esse pedido e dando início ao processo de tombamento estadual do bem.
Com isso, fica assegurada a preservação de todo o conjunto da Estação Ferroviária, devendo qualquer intervenção ter autorização do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado – CONDEPHAAT.
Isso evita a descaracterização do local, e qualquer infração que venha ocorrer, serão tomadas providências da natureza administrativa, penal e civil previstas na legislação.

A análise final ainda será realizada pelo CONDEPHAAT, porém desde já fica valendo a obrigatoriedade da conservação.

História

A Estação Ferroviária foi aberta em 1887, como Cascavel, e junto com o povoado fundado nas terras da fazenda Embiriçu pelo Sr. João Joaquim Braga, no meio do nada, serviam ambos de ponto de partida para o então recém-implantado ramal de Caldas, que seguia até Poços de Caldas, já em território mineiro.

A estação prevista para ter esta função era a estação de Engenheiro Mendes, e que inclusive era conhecida, até 1886, pelo nome de Caldas. Desentendimentos entre os fazendeiros localizados nas terras perto dessa estação e a Mogiana levaram a Cia. a mudar o ponto de partida para o povoado de Bom Jesus de Cascavel. Ao mesmo tempo, um dos comerciantes mais prósperos da velha estação de Caldas mudou-se dali para Cascavel, junto à ferrovia, onde construiu um hotel, fato que ajudou o progresso de Aguaí e o colapso progressivo de Engenheiro Mendes.

Em 1945, por determinação do CNG, seu nome foi alterado para Aguaí – que significa Guizo de Cascavel, em tupi – e em 2017 era uma das poucas estações que permanecia no leito da estrada, mesmo depois das diversas retificações feitas pela Mogiana e pela FEPASA dos anos 1920 aos 1970.

Também em 2017, o ramal de Caldas ainda funcionava. Os trilhos, que cruzavam a cidade em toda a sua extensão, estavam cercados e tudo era mantido em bom estado de conservação, num fato realmente raro, hoje em dia. Fonte: Texto Site Estações Ferroviárias do Brasil

O prédio da Estação Ferroviária foi tombado como Patrimônio Histórico Municipal em 2001, por iniciativa do então prefeito José Maria Botoluci Lobo, por meio de Lei. Com a declaração de patrimônio estadual, o local se consagra como grande importância inclusive turística para o país.

Veja aqui mais notícias sobre Aguaí.

Fonte: Prefeitura municipal de Aguaí – SP

- Oferecimento -