Conheça a história de Bruno Henrique o menino miraculado que recebeu o milagre

0
1328
Na foto o Padre Anderson Godoi, Bruno, o menino miraculado e o Bispo Diocesano Dom Villar. 
Oferecimento: Academia iFitiness

Bruno Henrique Arruda de Oliveira é um menino nascido em 2006 com uma deformidade nos membros inferiores e que recebeu o milagre por intercessão de Padre Donizetti Tavares de Lima, reconhecido em decreto assinado pelo Papa Francisco, o qual levará à beatificação do sacerdote brasileiro.

Em um relato publicado no site do Santuário Nossa Senhora Aparecida, de Tambaú (SP), a mãe de Bruno, Margarete Rosilene Arruda de Oliveira, conta que o menino, nascido em 22 de maio de 2006, em Casa Branca (SP), tinha uma deformidade conhecida como “pé torto congênito bilateral”, uma anormalidade de difícil tratamento.

Quando a criança começou a ficar em pé, seus pais perceberam que ele “não conseguia encostar as solas dos pés na superfície, ele pisava com os lados dos pés e tinha as perninhas arqueadas”. A mãe levou ao pediatra o raio-X e o laudo e foi encaminhada ao ortopedista.

Certa noite, a mãe colocou Bruno de pé sobre uma mesa e tentou desentortar os pezinhos dele com suas mãos, um esforço em vão. Então, começou a chorar e clamar ao Pe. Donizetti: “Por favor, Santo Padre Donizetti, tenha piedade desta vossa filha que vos clama, me ajude: cure o meu filho, cura os pés dele… Sei que terei um caminho difícil pela frente com esse tratamento… Intercede por mim junto a Nossa Senhora Aparecida, sei que Ela não negará um pedido do senhor padre, pois Ela o ama muito, peça a Ela, por favor, que interceda ao filho Jesus, tal qual nas bodas de Caná”.

Prometeu também levar os sapatinhos de Bruno à casa de Pe. Donizetti, em Tambaú, “para que dê o testemunho do seu poder junto à Nossa Senhora e Jesus, para que outros que sofrem, possam também pedir ajuda a vós”. “Obrigada, essa é minha vontade, mas que seja feita a vontade de Deus sobre todas as vontades”, concluiu a mãe a sua oração.
No dia seguinte, ao acordar, colocou novamente o menino de pé sobre a mesa e ele “pisou com os pés retos e as solas dos pés tocavam a mesa”, conta Margarete, ressaltando que “suas pernas ainda continuavam arqueadas, mas, os pés estavam pisando certo”.

No dia da consulta com o ortopedista, ela levou o raio-X e o laudo e, após examinar os pés de Bruno, o médico exclamou que Deus havia curado a criança, que não tinha “nada nos pés”. Com o tempo, as pernas do menino continuavam arqueadas, mas Margarete ressalta que “agradecia e pensava que as pernas continuavam assim, para dar testemunho do milagre que havia acontecido”.

Em 2010, visitou Tambaú e levou os sapatinhos de Bruno, os quais deixou juntamente com o laudo sobre a cama de Padre Donizetti. “Hoje meu filho Bruno encontra-se em perfeito estado de saúde, suas pernas desentortaram e seus pés são normais sem nunca ter se submetido a nenhum tratamento e nenhuma cirurgia. Não existe nenhuma sequela nele que indique que algum dia teve ‘pé torto congênito’”, completa a mãe.