Assistência Social realiza trabalho para combater doação de esmolas na cidade

113
- Publicidade -
- Oferecimento -

Proposta é mostrar que a Prefeitura oferece serviços gratuitos de ajuda a pessoas que vivem em situação de rua 

Começou na manhã desta segunda-feira, 4, a Semana de Conscientização Contra a Doação de Esmolas. O trabalho, coordenado pelo Departamento Municipal de Assistência Social, consiste em visitas a estabelecimentos comerciais de São João da Boa Vista, com a proposta de orientar os proprietários para que não colaborem com doações materiais a pessoas que vivem em situação de rua.

Pelo segundo ano, a ideia é mostrar por meio desta ação que a Prefeitura está atenta à situação, e oferecendo serviços gratuitos para ajudar pessoas que se encontram em situações adversas diante da sociedade.

“O nosso foco principal nem tanto é o comércio, mas sim, as pessoas que se utilizam do comércio. É para que elas entendam que não é bom dar esmolas. Então, nós temos interesse de mostrar para a população todos os nossos projetos e programas voltados para pessoas em situação de rua. Eu acho que é uma campanha que está trazendo bons resultados”, afirma a diretora de Assistência Social, Eliane Buciman de Lima Rossi.

Quando chega ao comércio, a equipe de assistentes sociais, acompanhada de estagiários, solicita ao dono do estabelecimento que permita a fixação de um cartaz e o recebimento de um panfleto com abordagens ao trabalho desenvolvido pela Prefeitura.

Frases como “Dê Mais que Esmolas, Dê Futuro” e “A Esmola Esconde um Grave Problema” estão inseridas nos materiais que estão sendo distribuídos.

O trabalho de ressocialização fornecido pela administração municipal inclui acolhimento no albergue, atendimento nos Centros de Atenção Psicossociais (CAPS), prevenção de doenças com a realização de exames, entre outros tipos de ajuda.

Dona de uma banca de revistas instalada na Praça Coronel José Pires, Maria Luiza tem experiência de como é conviver próxima a moradores de rua que frequentam o espaço público.

“Muitas mulheres [principalmente] dão dinheiro por medo deles. Esse trabalho [de conscientização] vai ajudar bastante”, diz otimista.

Outro comerciante das imediações, Ciro Gianelli Soares também está confiante de que a ação realizada pela Prefeitura dê certo.

“Melhora o movimento porque na praça eles [andarilhos] atrapalham muito. Afora a nojeira que fica. Tem gente que dá [dinheiro] porque tem dó. Ainda mais quando eles falam que é para comer”, destaca.

A atividade de orientação está programada para acontecer nas principais ruas do comércio de São João até sexta-feira, dia 8.

“Estamos passando de loja em loja, falando com os proprietários e explicando todos os caminhos que a gente tem para pessoas em situação de rua”, finaliza a técnica do Plantão Social, Adriana Toneto.

- Oferecimento -